Agricultura familiar: eventos promovem tecnologias que diversificam culturas - Canal Rural

Agricultura familiar: eventos promovem tecnologias que diversificam culturas  Canal Rural

Agricultura familiar: eventos promovem tecnologias que diversificam culturas - Canal Rural


Nos próximos dias 1º e 2 de fevereiro (quarta e quinta da próxima semana), no município de Magalhães de Almeida (MA), a Embrapa Cocais em parceria com a Ambev, a Cooperativa dos Produtores do Tabuleiro de São Bernardo e o governo estadual irão promover dois eventos para mostrar soluções tecnológicas sustentáveis que contribuam para a diversificação de culturas na agricultura familiar, geração de renda e segurança alimentar.

Ciência pode ser usada no combate à fome, diz ministra

De acordo com as informações da Embrapa, um deles é o dia de campo Manejo do Consórcio Rotacionado para Inovação na Agricultura Familiar (Criaf), que será realizado na manhã do dia 1º de fevereiro e será voltado para assistentes técnicos, professores, estudantes, extensionistas e produtores familiares.

Segundo o coordenador do evento, o analista da Embrapa Cocais, Carlos Santiago, o objetivo é mostrar que o Criaf envolve o cultivo das culturas alimentares do arroz, feijão, milho e mandioca em consórcio. Sobretudo com possibilidade de rotação de culturas como práticas de sustentabilidade ambiental e segurança alimentar para o desenvolvimento da agricultura familiar do Maranhão.

“É um policultivo das culturas mais produzidas pelos agricultores familiares para consumo familiar e comercialização in natura ou processados e subprodutos. Esse conjunto tecnológico que compõe o Criaf representa tecnologias sustentáveis que fazem parte das soluções para redução do fogo na agricultura, no combate à pobreza e redução da fome, por meio da produção diversificada de alimentos”.

A tecnologia da Embrapa Cocais será tema da palestra “Manejo do Criaf – Consórcio e rotação de culturas – fatores para a diversificação e obtenção de altas produtividades com as culturas alimentares da mandioca, arroz, feijão e milho”, a ser ministrada por Santigo.

O evento trará ainda o tema “Projeto Ambev – Parceria, ação social e benefícios para o produtor”, a serem abordados pelas palestrantes Antônia Daniela (Ambev) e Suzane Bittencourt Lopes (Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural Agerp).

Antônia Daniela, engenheira agrônoma, fará apresentação das metas de sustentabilidade da Ambev, focando em ações desenvolvidas nas comunidades parceiras do Projeto Magnifica do Maranhão e o impacto positivo gerado com o projeto de pesquisa em parceria com a Embrapa Cocais. “O objetivo desse trabalho é contribuir com uma agricultura mais inclusiva e sustentável”.

Suzane Lopes, engenheira agrônoma e extensionista da Agerp, trabalha diretamente com os agricultores da Cooperativa do Perímetro Irrigado onde existem os trabalhos da Ambev com a Embrapa Cocais.

Ela vai tratar da comercialização de mandioca para Ambev e benefícios e oportunidades que os agricultores tiveram a partir desse processo. “Também irei falar sobre a melhoria na produção no campo para se adaptar ao que a Ambev exige em termos de qualidade da matéria prima. E ainda sobre o trabalho da Agerp dentro do perímetro com os agricultores da cooperativa e associação existente no local, experimentos instalados, projetos e resultados”.

No período da tarde do dia 1º de fevereiro e durante todo o dia 2 de fevereiro, será a vez do segundo evento, a ser realizado na Cooperativa dos Produtores Rurais do Tabuleiro de São Bernardo, no Povoado Alto Alegre o curso “Mecanização na cultura da mandioca”, uma das atividades do projeto de pesquisa da Embrapa Cocais Ambev. Entre os participantes, assistentes técnicos, professores, estudantes de ciências agrárias, extensionistas, agricultores familiares. O instrutor é o professor Marcos Roberto da Silva, da Universidade Federal do Recôncavo Baiano.

Entre os temas a serem abordados estão sistema mecanizado de produção de mandioca, noções sobre conservação do solo e da água na produção de mandioca, sistemas de manejo – convencional e conservacionista. Além disso, durante todo o segundo dia do curso, será a parte prática. Os participantes farão seleção de material propagativo para plantio mecanizado, regulagem e manejo de plantadora adubadora, aplicarão implementos agrícolas para manejo fitossanitário, manejo de plantas daninhas e adubação de cobertura e implementos auxiliares para a colheita.

“Vou apresentar o estado da arte de máquinas agrícolas empregadas na produção de mandioca, desde implementos de plantio mecanizados a manuais, bem como conceitos de conservação do solo e da água e técnicas utilizadas no sistema de produção de mandioca. É de suma importância o preparo de solo de forma correta, as regulagens da quantidade de fertilizantes e sementes por área e detalhes na prática do plantio mecanizado, bem como do material propagativo para o plantio e estabelecimento da cultura. Todos esses passos facilitam o tempo de plantio e de colheita e reduzem o custo de produção. É o diferencial do manejo mecanizado”, afirma Marcos Roberto.

De acordo com o analista de Safras & Mercado Fernando Henrique Iglesias, o quadro de curto prazo ainda remete a queda dos preços da arroba

Na avaliação do Sindicarnes, há perspectiva de uma oneração ainda maior do setor com o início da cobrança do Funrep

A oferta de animais terminados vem se mostrando mais tímida no decorrer da semana, com o pecuarista mais otimista em relação à alta dos preços após as habilitações da Indonésia

A Cooperativa Agroindustrial de Cascavel (Coopavel) registrou faturamento 10% maior em 2022 em comparação com o ano anterior

Setor produtivo da região do Parecis, em Mato Grosso, frisa ter sido pego de surpresa com decisão da multinacional

Locais estão espalhados em oito estados. Governo anterior havia paralisado todas as ações de reconhecimento de terras indígenas

Um mix de 608 diferentes produtos agropecuários foram enviados de Minas Gerais para 152 países ao decorrer de 2022

Possibilidade foi identificada em pesquisa liderada por equipe da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

O deputado federal e ex ministro da Agricultura do governo Dilma, Neri Geller (PP MT), disse que vai reativar o programa de armazenagem e fomentar o Inovagro

Nos subprodutos, posição março do farelo fechou com baixa de US$ 3,60, a US$ 473,50 por tonelada. No óleo, perda de 0,17 centavo ou 0,27%



Google News

Agricultura familiar: eventos promovem tecnologias que diversificam culturas - Canal Rural

Umidade baixa prejudica lavouras da Argentina - Canal Rural

Como ficará o preço do café nos próximos dias - Canal Rural

Com queda de 2% no 3º trimestre, PIB do agro recua 4,28% em 2022 - Canal Rural

Agricultura familiar: programa concede até 95% de desconto em ... - Canal Rural

Produtores argentinos desenham rosto de Messi em lavouras - Canal Rural

Na COP-27, Lula diz que o agro será um aliado estratégico - Canal Rural

Plano Safra 2022/23 é de R$ 340,8 bilhões - Canal Rural

Soja: Maranhão terá 5% de aumento de área, segundo Aprosoja - Canal Rural

Projeto de taxação do agronegócio é retirado de pauta no Paraná - Canal Rural

Viu esta Aproximação de ciclone, frente fria e trovoadas; veja a previsão do tempo - Canal Rural

1ª Safra 2022/23: quais as perspectivas climáticas - Canal Rural